Manaus vive colapso com hospitais sem oxigênio

Anúncio

O sistema hospitalar da cidade amazônica de Manaus está entrando em colapso com uma segunda onda de COVID-19 e está ficando sem oxigênio, disse o ministro da Saúde do Brasil, Eduardo Pazuello, nesta quinta-feira.

Falando em um webcast com o presidente Jair Bolsonaro ao seu lado, Pazuello disse que os hospitais da cidade estão com falta de equipe médica, pois as mortes aumentam novamente. O estado do Amazonas apelou aos Estados Unidos para que enviem um avião militar de transporte com cilindros de oxigênio.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, postou um vídeo no Twitter dizendo que a rede de saúde do estado do Amazonas (da qual Manaus é a capital) entrou em colapso. 

Anúncio

“A rede de hospitais estaduais entrou em colapso; não tem mais como atender a demanda por conta da Covid-19 ”, disse Virgílio Neto. “Cirurgias eletivas em todos os hospitais foram adiadas”.

No oitavo mês de gestação, Simone da dupla com Simaria expõe a verdade e revela traição: “Não era confiável”

Em entrevista coletiva na sexta-feira, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a cidade havia entrado na lista de “locais críticos” do spread Covid-19, anunciando que seu departamento ordenou o envio de 15 ventiladores para a cidade do Rio de Janeiro .

Hoje, o jornal Folha de S. Paulo publicou reportagem sobre a precária situação de saúde e moradia de milhares de moradores de bairros mais pobres, construídos sobre palafitas sobre córregos poluídos da cidade, a menos de um quilômetro do centro de Manaus.

Até domingo , Manaus registrava 379 casos de Covid-19, com 11 mortes.

Anúncio